Rotina de Vendas

6 LIÇÕES DO ESPORTE PARA SER UM MELHOR PROFISSIONAL DE VENDAS

Você já parou para pensar que situações do nosso cotidiano podem nos fornecer contribuições valiosas para nosso desempenho profissional?

Se muitas das atividades da nossa vida pessoal são realizadas de forma espontânea e até automática, não seria ótimo poder também desempenhar da mesma forma as atividades profissionais?

Neste texto iremos mostrar como os esportes de endurance – como corrida, ciclismo ou natação em águas abertas – e a área de vendas têm muito mais coisas em comum do que você possa imaginar!

 

FOCO EM RESULTADOS – O Barão Pierre de Coubertin que nos perdoe, mas ninguém entra em uma competição esportiva apenas para participar. É fato que os objetivos podem ser os mais variados, mas todos os atletas sem exceção tem algum resultado esperado (nem que seja apenas completar uma prova !). Ter em mente o objetivo ajudará o atleta a maximizar seus esforços durante a competição e também a manter a motivação e o foco durante a rotina desgastante de treinos.

Com o vendedor não é diferente! Planeje suas ações sempre focando no resultado, questione-se sempre se a atividade que está desempenhando irá de alguma forma contribuir para seu alcance. Acorde todos os dias lembrando do resultado a ser alcançado. É o resultado que move o profissional de vendas e no final do dia a única coisa que realmente interessa.

Lição aprendida : seja você um atleta ou um vendedor, acorde todos os dias sabendo onde você quer chegar!

 

PERSISTÊNCIA – A rotina de treinos de um atleta é marcada por altos e baixos, alguns treinos são ótimos mas outros são muito ruins. Há ainda fatores externos que impactam nos treinos, como lesões, condições climáticas, falta de tempo para treinar, etc. É fundamental que o atleta seja resiliente e constante nos treinos. Não se pode desanimar perante as adversidades, pois elas sempre existirão.

Um vendedor enfrentará objeções, ouvirá muitas negativas, terá mudança de interlocutores nos clientes, vendas canceladas no momento da assinatura do contrato, metas que eventualmente não serão atingidas. Portanto contornar as adversidades e persistir nas negociações é uma virtude.

Lição aprendida : Enquanto tem bambu tem flecha!

 

CAPACIDADE DE ADAPTAÇÃO – Um atleta sempre tem que estar preparado para as adversidades, que pode ser desde uma chuva até uma indisposição estomacal. Diante de um pneu de bicicleta furado durante uma competição o atleta pode simplesmente desistir ou encontrar uma alternativa para trocar o pneu e seguir em frente, It´s up to you, baby ! Neste contexto não adianta ser apenas resiliente; diante de novos cenários são necessárias adaptações para atingir o objetivo proposto.

Costuma-se dizer que o vendedor precisa ser um camaleão para criar empatia com seus clientes. É da natureza humana querer se relacionar, e conseqüentemente negociar, com seus semelhantes. Mas a adaptabilidade vai além, já que há inúmeros fatores internos e externos não controláveis que podem impactar negativamente como situação econômica, novas regulamentações, concorrência que impactarão tanto na realidade dos seus clientes quanto no processo de negociação.

Lição aprendida: A lei de Murphy existe, esteja preparado para fazer do limão uma limonada!

 

DISCIPLINA – O processo de preparação de um atleta é longo e desgastante. Acordar de madrugada, enfrentar chuva ou frio, lutar contra o cansaço ou a preguiça são apenas alguns fatores que poderão ter impacto negativo caso o atleta não tenha força de vontade para seguir a risca seu plano de treinamento. A jornada não é fácil mas quando você desanimar e pensar em desistir, lembre-se que naquele exato momento seu adversário estará treinando.

Vendedor e disciplina nem sempre tem uma relação muito amistosa. Mas não acredite que vendas é apenas intuição e feeling, pois realmente não é ! Aceite  e receba de braços abertos os processos, regras e ferramentas como seus aliados para ter mais produtividade e não perder o foco. Depois de algum tempo você vai se surpreender como conseguiu sobreviver tanto tempo em vendas sem disciplina.

Lição aprendida: O que você faz nos bastidores é o que te coloca nos holofotes!

 

PLANEJAMENTO – Nenhum atleta de endurance inicia o ano sem elaborar, em conjunto com seu treinador, o planejamento de sua temporada de competições para, a partir daí, definir as competições que participará e criar os ciclos de treinamento. O alcance de um bom resultado ou a conquista de uma competição nada mais é do que o somatório do trabalho realizado durante os inúmeros dias que antecederam.

Vendedor vive de meta e a meta a ser entregue até o último dia do mês começa a ser construída no início do mês, dia após dia. Vendedor que espera aquela super venda “cair do céu” para bater a meta não entregará o resultado esperado.

Lição aprendida: Quem não sabe como chegar nos resultados esperados não chegará a lugar nenhum!

 

MÉTRICAS – O uso da tecnologia chegou aos esportes. A partir de gadgets e wearables os atletas tem acesso real time a uma série de variáveis como batimento cardíaco, cadência, potência, inclinação, altimetria, etc que irão auxiliá-lo a treinar de acordo com o planejado. Estas metas não devem ser encaradas com um objetivo em si, mas sim uma maneira objetiva de “medir” a evolução e o resultado.

O universo de vendas pode ser traduzido em números, números e números! Quantidade de clientes conquistados, quantidade de clientes perdidos, volume de vendas, ticket médio, etc. As métricas de vendas são as mais variadas mas é sempre importante que estejam alinhadas tanto com os objetivos da empresa quanto com as metas do vendedor.  Não tenha medo dos números e use-os a seu favor, pois eles lhe ajudarão a entender “como” e “o que” você está entregando como resultado.

Lição aprendida: O que pode ser medido por ser melhorado!

 

Da próxima vez que você for praticar sua corrida no final de semana, reflita como sua atitude poderá lhe ajudar no trabalho. Boa corrida e boas vendas!

Marcadores:

Deixe seu comentário