Rotina de Vendas

O que aprendi nos palcos e trouxe para as vendas?

Quem aqui nunca bancou o artista ao vender alguma coisa? Quem nunca usou um pouco do teatro para instigar o cliente a responder o tão esperado “sim”?

Com base na minha experiência em palcos, descrevo algumas características que identifico similares e de grande valia.

Estou habituado com palcos desde a adolescência quando participava das apresentações da escola, sejam de música, teatro ou dança. Ao longo dos anos o gosto por música foi aflorando e em pouco tempo me tornei músico profissional em Florianópolis, passando por muitos palcos e platéias. Perdi o medo muito rápido, ou melhor, transformei o medo em ansiedade (boa) para encarar este lugar que para muitas pessoas é sinônimo de tortura. Lembro de diversas apresentações que fiz ao longo dos últimos 10 anos. Dessas, a grande maioria eu lembro com um sentimento bom e com satisfação, já algumas infelizmente estão em uma caixinha dentro da minha cabeça como aprendizado.

O motivo? Não consegui entregar o que a platéia e/ou o contratante estavam esperando.

As causas?

  • Não estudar o público (platéia) do show para saber como conduzi-lo e o que tocar;
  • Confiar no equipamento de som que o contratante jurou ser ótimo;
  • Não estar preparado para uma corda arrebentada do violão ou um cabo do microfone com defeito;
  • Não descansar o suficiente e subir no palco com a energia esgotada ou sem voz;
  • Entre outros erros que (infelizmente) não evitei.

 

Onde estas características se esbarram na vida de um vendedor?
Quantas vezes chegamos para aquela reunião agendada sem ao menos decorar o nome do cliente? Sem ter ideia das informações mais básicas para iniciar um rapport?

Quantas vezes confiamos no computador para apresentar um projeto comercial e ele não funciona, ou no som da sala de reuniões não é alto o suficiente?

Algum dia você chegou para uma reunião após uma noite agitada com os amigos e, de tanta ressaca, mal conseguia entender o que o cliente perguntava?

 

Ninguém é perfeito e nem tudo está em nosso controle, porém existem inúmeras maneiras de evitar “micos” como estes e não desperdiçar uma grande oportunidade de venda.

Tenha foco, se prepare, se adiante e estude. Procure segundas alternativas, tenha sempre em mãos um outro caminho para seguir e evitar a perda de tempo (sua e do seu cliente).

Quando não estamos preparados, involuntariamente passamos esta insegurança aos clientes dificultando muito o desenrolar da negociação.

 

Lembro que, ao contrário dos micos, os shows mais marcantes foram os que eu dispus o máximo de tempo e esforço na preparação com a passagem de som, estudo do público e repertório, e com isso entreguei um resultado acima do esperado, ou seja, o Sucesso!

 

Boa sorte com as suas vendas e dê um show!

Marcadores:

Deixe seu comentário